Manaus- A partir da criação de regras e condutas do Ministério Público no CNMP, os membros do Ministério Público precisam tomar mais cuidado com o detalhe do dia- dia e na sua conduta profissional, por exemplo até uma simples publicação na internet pode ocasionar punições, o Conselho Nacional do Ministério Público aprovou, por unanimidade, a Política de Comunicação Social do MP, que traz dispositivos exclusivos sobre o comportamento nas redes sociais dos seus membros.
As postagens pessoais nas redes sociais são de responsabilidade dos proprietários das contas, segundo o texto do CNMP.
O texto, que regulamenta princípios e diretrizes sobre a divulgação de informações pela instituição, determina em seu artigo 9º que membros e servidores do MP devem ser cuidadosos ao publicar informações relacionadas à atuação do órgão nas mídias sociais, principalmente as de caráter sigiloso, que envolvam segurança ou interesse público. O ocorrido no dia 28 onde o promotor, antes de pedir a prisão do prefeito David Almeida (AVANTE) se manifestando explicitamente em suas redes sociais, fere o princípio de ética do CNMP, Conselho Nacional do Ministério Público, e abre um precedente imoral na conduta de um membro da conceituada justiça brasileira. Ao fazer menção do prefeito David e justificando que seu filho poderia morrer e o culpado seria David, o promotor de justiça publio faz e trás confusão para o MPAM e para a sociedade que enfrenta uma pandemia terrível e que não precisa contemplar uma promotor de justiça descontrolado e vingativo nesse momento tão difícil que todos passam. O MPAM após o triste ocorrido, recebeu uma enxurrada de críticas da população e de juristas que desaprovaram a conduta do promotor de justiça em suas redes sociais e também nas suas atribuições, deixando de lado a ração e a lei e rasgando a constituição ( nossa carta Magna) aplicou por motivação pessoal, ( vingança) fez o pedido de prisão preventiva do chefe do poder executivo municipal que a justiça do Amazonas firme e aplicando a lei corretamente desaprovou o ato emotivo do promotor Publio Caio.

Agora além de uma advertência, ele pode ser afastado e também perder o cargo se o conselho nacional do Ministério Público aceitara denúncia que será formalizada por Almeida.

O Conselho Nacional já punil em casos anteriores de abuso de autoridade e quebra de ética alguns representantes do MP que agiram de forma errada, que foram punidos por pouco menos.

Marco Aurélio choy procurador da prefeitura municipal de Manaus (PMM), e seu corpo jurídico vão entrar com denúncia no CNMP para investigar a conduta do promotor.

Entramos em contato com o prefeito David Almeida (AVANTE) que disse estar profundamente indignado, e classificou o caso como abuso de Autoridade.

Share: